Até 2020, depressão será doença mais incapacitante do planeta, diz OMS

Em dez anos, casos de depressão aumentaram 18% em todo o mundo; metade dos casos de transtorno mental acontece até os 14 anos

Tamanho da letra:
A
A
  
  
Link permanente:
    
Publicado em: 16/10/2018

Em dois anos, a depressão se tornará a condição mais incapacitante do mundo, de acordo com a previsão da Organização Mundial da Saúde (OMS). Nesta quarta-feira (10), conhecida como o Dia Mundial da Saúde Mental, a agência divulgou dados para alertar sobre os perigos da doença, mostrando que, em dez anos, o número de casos de depressão subiu 18%.

O Brasil o primeiro país no ranking de casos de depressão na América Latina. Aproximadamente 6% da população, um total de 11,5 milhões de pessoas, sofrem com a doença, de acordo com dados da OMS.

A agência alertou ainda para o fato de que metade dos casos de transtorno mental surge até os 14 anos de vida, mas a maioria não é detectada ou tratada. O levantamento feito pela agência mostrou que o público jovem merece atenção: o suicídio é a segunda principal causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos.

Já o uso de álcool e drogas ilícitas, segundo a OMS, permanece uma importante questão em diversos países, podendo levar a comportamentos de risco como sexo sem proteção e direção perigosa. Transtornos alimentares, de acordo com a entidade, também são fonte de preocupação.

“Felizmente, há um crescente reconhecimento da importância de ajudar os jovens a construir a resiliência mental, desde as primeiras idades, a fim de lidar com os desafios do mundo de hoje. Crescem as evidências de que promover e proteger a saúde do adolescente traz benefícios não apenas à saúde deles, tanto a curto como a longo prazo, mas também às economias e à sociedade, com jovens adultos saudáveis capazes de fazer contribuições maiores à força de trabalho, famílias, comunidades e sociedade como um todo”, informou a OMS, por meio de comunicado.


Como prevenir casos de depressão?


Ainda de acordo com a OMS, muito pode ser feito para ajudar a construir resiliência mental desde cedo e contribuir para a prevenção do sofrimento mental entre adolescentes e jovens adultos. A prevenção, segundo a entidade, começa com o conhecimento e a compreensão dos primeiros sinais e sintomas de alerta de transtornos mentais.

“Pais e professores podem ajudar a construir habilidades em crianças e adolescentes para ajudá-los a lidar com os desafios cotidianos em casa e na escola. O apoio psicossocial pode ser fornecido em escolas e outros ambientes comunitários e, é claro, o treinamento de profissionais de saúde para que eles possam detectar e gerenciar transtornos de saúde mental pode ser implementado, aprimorado ou ampliado”, destacou a organização.

“O investimento por parte dos governos e o envolvimento dos setores social, saúde e educação em programas abrangentes, integrados e baseados em evidências para a saúde mental dos jovens é essencial. Esse investimento deve estar vinculado a programas de conscientização de adolescentes e jovens sobre formas de cuidar de sua saúde mental e ajudar colegas, pais e professores a apoiar seus amigos, filhos e alunos”, concluiu a OMS.

Fonte: IG
Edição: A.N.

Comentários
Nenhum comentário cadastrado. Seja o primeiro!
Deixe seu comentário
Nome *
Email *
Seu comentário *
Saiba mais
Sacada legal
Compreender é saber como seguir adiante.
- Ludwig Wittgenstein, filósofo.
Onde estamos
Rua Paissandu, 1894 - Centro
CEP: 64001-120 / Teresina-PI
Segunda a Sexta de 7h as 19h
(86) 3216-1122