Oncomédica aposta em cardápio diferenciado para abrir apetite de pacientes

O objetivo é tornar os pratos mais atrativos, além de nutritivos.

Publicado em: 15/08/2019

Mudanças no cardápio introduziram pratos mais coloridos e atraentes.

Quando se fala em comida de hospital, todo mundo torce o nariz, mas o setor de Nutrição, responsável pela alimentação dos pacientes da Oncomédica internados no Prontomed Adulto, está mudando isso. Pratos coloridos e um cardápio diversificado fazem parte do dia a dia de quem está com a saúde debilitada e precisa de uma atenção maior com a questão nutricional.

“Os pacientes oncológicos requerem um cuidado todo especial com a alimentação. Devido aos sintomas da doença, e dependendo do tipo de câncer, eles podem apresentar problemas de deglutição, como disfagia, que é uma dificuldade acentuada de engolir alimentos, com redução e/ou perda total do apetite, afetando diretamente seu estado nutricional. A partir do momento que o paciente encontra-se em carência nutricional, isso interfere na resposta ao tratamento e no combate à doença, por isso a importância de tornarmos ainda mais atraentes os pratos”, esclarece a nutricionista funcional do Prontomed Adulto, Cláudia Veras.

image
A nutricionista Cláudia Veras achou que as mudanças estão agradando os pacientes.

Ela explica ainda que foi pensando nisso que o setor de Nutrição procurou investir também na decoração das refeições.

“A gente está tendo uma resposta muito boa com as mudanças no cardápio. Pacientes que estavam com dificuldade de se alimentar passaram a comer melhor, os familiares também estão aprovando as novidades no cardápio. Isso nos deixa muito felizes porque mesmo introduzindo suplementos, a melhor forma de suprir as necessidades calóricas e nutricionais diárias dos pacientes é pela alimentação", disse. 

image
A Silvana Mourão sempre sorridente também aprovou as alterações nos pratos.


Além disso, através da alimentação podemos verificar o bom ou mau funcionamento do trato gastrointestinal do paciente, o que faz toda a diferença”, destaca Cláudia Veras. A nutricionista ressaltou também que, dependendo do caso de cada paciente, a ingestão adequada de alimentos pode ajudar a reduzir o tempo de internação. “Um paciente debilitado que não se alimenta bem não vai ter uma recuperação tão rápida quanto aquele que come sem dificuldade, isso pode acarretar um tempo de internação mais longo”, frisa.

Ela lembra ainda que a equipe formada por nutricionistas e colaboradores está empenhada no desenvolvimento de uma alimentação cada vez mais saudável,
atraente e adequada.

“Nossa equipe tem procurado elaborar pratos nutritivos e com boa apresentação. A responsável pela Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN), a nutricionista Ana Paula Soares, e todos os cozinheiros, copeiros, ajudantes e colaboradores têm procurado levar o melhor alimento para os nossos pacientes. O que queremos é vê-los satisfeitos, nutricionalmente bem alimentados e com uma boa resposta ao tratamento, finalizou.

Catarina Santiago 

Álbuns

Instagram