Recriar: superando os obstáculos pela inventividade

As oficinas têm como objetivo promover uma abordagem mais ampla, criativa e inclusiva junto às pacientes que estão em tratamento na Oncomédica.

Publicado em: 02/08/2019

Pacientes se envolvem na confecção de bijuterias de papel.

Para saber o que é o Recriar da Clínica Oncomédica nada melhor do passar uma manhã vendo a alegria das pacientes que participam do projeto. Além de desenvolverem habilidades artesanais, elas compartilham sua vida e desenvolvem o apoio mútuo. A concentração necessária para a produção de peças que vão desde a pintura em tecido à confecção de bijuterias é quebrada apenas pelas gargalhadas das pacientes que não perdem nenhum dia de oficina.
 
Francisca Fernandes, que participa do Recriar há três anos, afirma que tudo que aprende nas oficinas, reproduz em casa.  “O que eu mais me identifiquei foi com a oficina de bijuterias e as de pano de prato. Foram as que eu tive mais facilidade de fazer. Tiveram outras, mas eu não tive tanta facilidade de aprender, mas é uma coisa muito agradável e aqui todo mundo é dez”, disse. 

“Eu estou gostando muito! Fazer bijus é algo mais delicado e você precisa fazer com bastante calma. Se você não fizer com bastante paciência, não vai ficar legal, pode ficar folgada”, explicou a paciente Sulirosa Pereira, que está no Recriar desde 2013.

image
Atenção e delicadeza são necessárias para confecção de peças.

Virgínia Sousa, que participa do projeto há apenas três meses, afirmou que se sentiu muito acolhida e que companhia das outras pacientes vem contribuindo para que o tratamento seja mais tranquilo. “Depois do diagnóstico do câncer de mama eu parei com o meu trabalho no ramo da beleza, mas depois que eu comecei as atividades aqui na Oncomédica, eu estou me sentindo bem melhor. A gente se reúne com outras mulheres que passaram pelas mesmas coisas que eu estou passando e que já estão recuperadas, e elas estão me dando muita força. Além de tudo, aprendo muito aqui no Recriar com a oficina de bijuterias”, afirmou. 

image
A psicóloga Jânua Alencar recebe o carinho das pacientes que participam do Recriar.

A coordenadora do projeto, a psicóloga Janua Alencar, falou sobre o diferencial do Recriar e destacou a oficina de bijuterias como algo que mexe com a criatividade e trabalha com a reciclagem de papel.

 “Todo mundo se envolve muito, se concentra, é um material fácil de achar, todo mundo tem revista velha em casa e aí não tem limite para a criatividade. Aqui não tem o certo e o errado e o resultado é o encanto das pessoas com esse trabalho. As peças que foram produzidas aqui já tiveram procurar para serem adquiridas”, conta. Ainda segundo ela, tudo que é produzido no Recriar fica em exposição no 2º andar, na sala de tratamento da Oncomédica. 

image
Participantes dividem experiências com as colegas durante oficina.

Sobre o Recriar


O projeto consiste em um conjunto de oficinas terapêuticas que acontece semanalmente, às sextas-feiras, e leva pacientes a realizarem atividades artesanais diversificadas sob orientação de um instrutor voluntário. O Recriar tem como objetivo desenvolver as potencialidades artísticas das pacientes e aplicar uma abordagem mais ampla e inclusiva do tratamento do câncer. 

image
Arte desperta inventividade das pacientes.

Entre as oficinas que já foram realizadas estão: customização de canetas, criação de porta agulhas e tesouras com materiais artesanais, pesos de portas coloridos no formato de sofazinhos, além de aplicação de estampas em vestidos, criação e produção de chinelos feitos de EVA, pintura e aplicação de tecidos em panos de prato, confecção de tiaras, peças de crochê e agora de bijuterias.

Catarina Santiago

Álbuns

Instagram